Seguidores

quinta-feira, 31 de julho de 2014

O Poder da Tolerância e da Compaixão


Há muito tempo atrás, em um monastério na Ásia, um grande iogue hindu, cheio de sabedoria e compaixão, formou um grupo de discípulos para passar todos os seus ensinamentos.

Esse grupo era formado por dois grupos menores, um era hindu e outro era muçulmano, mas ambos eram acolhidos como iguais pois, para os olhos de Brahman, não existem tais diferenças.

Durante muitos anos, ele ensinou, pacientemente, todos aqueles que se sentavam ao seus pés, falando das maravilhas dos Reinos Superiores e como qualquer um poderia alcançar esses Reinos se tivesse disciplina e seguisse suas instruções.

O tempo passou, e o grande mestre foi envelhecendo, mas sem nunca descuidar de suas meditações diárias.

E foi em uma dessas meditações que ele, em bem-aventurança, deixou o corpo físico e partiu para os mesmos Reinos que ele tanto falava.

Seus discípulos ficaram muito tristes com o ocorrido, pois o amavam profundamente.

Eles enrolaram o corpo do mestre em um pano branco e o velaram por 24 horas, entoando mantras sagrados.

Após esse tempo, começaram a fazer os preparativos para o funeral do mestre.

E foi quando tudo aconteceu.

O grupo hindu queria cremar o corpo do mestre, como era a tradição hindu. Já o grupo muçulmano queria enterrar o corpo do mestre, como era a tradição muçulmana.

Os grupos começaram a conversar, cada um procurando mostrar que o seu ritual funerário era o mais correto.

Passado um tempo, sem que ninguém chegasse à uma conclusão, a conversa se tornou uma discussão acalorada.

A discussão se tornou uma briga.

E a briga já estava se tornando agressão física, quando a porta do monastério se abriu de repente e eis que o mestre surgiu, caminhando em direção aos discípulos.

Todos ficaram mudos e paralisados. Afinal, o mestre estava morto! Seu corpo estava enrolado em um pano branco, bem perto deles! Quem era esse que entrava no monastério?

Foi quando o mestre começou a falar:

"Namastê, meus queridos filhos."

"Será que vocês já esqueceram tudo o que eu lhes ensinei?"

"Por quê vocês brigam pelo meu corpo? Ele é apenas uma carcaça vazia, minha essência já não se encontra mais com ele."

"Para serenar seus corações, façam o seguinte: dividam o meu corpo ao meio. Uma metade deverá ser enterrada, e a outra metade deverá ser cremada."

"Tenham sempre tolerância e compaixão uns pelos outros."

"Adeus."

Então o mestre saiu pela porta do monastério.

O silêncio ficou ainda mais pesado na sala, com o sentimento de vergonha que tomou conta de todos, afinal, a própria essência do mestre havia voltado para dar uma última lição.

Então, os discípulos se prepararam para a penosa tarefa de dividir o corpo do mestre.

E ao desenrolarem o pano branco, se espantaram ao ver que, no lugar do corpo do mestre, havia um grande ramalhete de flores.

Seguindo fielmente suas ordens finais, os discípulos dividiram o ramalhete de flores ao meio; metade foi enterrada, e a outra metade foi cremada.

Atlantis

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Feliz Revolução Solar, Leonino!


O quinto signo do Zodíaco é regido pela nossa estrela Alpha, o Sol. Ele representa a energia masculina assim como a Lua, regente de Câncer, representa a energia do feminino. Os arquétipos da mãe celeste e do pai celeste são os geradores de todas as outras energias - os filhos - que agem sobre nosso planeta e sobre o gênero humano. A energia que o Sol envia para o planeta terra durante esse mês e muito intensa, e tem um potencial dual, positivo e negativo ao mesmo tempo, abençoado e destrutivo, gerador de êxtase e miséria. Pois que é gerador de vida, ele representa a energia vital e os órgãos sexuais geradores de vida, além de reger o coração e a medula espinhal. O Hemisfério Norte queima em brasa sob a ação solar na estação mais quente do ano. No Hemisfério Sul sofremos com a seca e os extremos climáticos.

Os leoninos são influenciados diretamente por essa força poderosa gerada pelo Sol, por essa razão possuem essa tanta energia dentro de si. O leonino acredita, não, ele sabe que ele gera energia e que todos gravitam ao seu redor. Seres de grande altivez, autoconfiança e força magnética, eles não são facilmente ignorados. Leais e generosos escolhem poucos amigos para depositarem sua confiança e raramente delegam a outros as tarefas que lhe são confiadas. Como verdadeiros reis, se movem no meio de seus súditos com generosidade, mas agem também com mão de ferro, podendo impor sua vontade como verdadeiros ditadores. Os leoninos recebem muito do Cosmo e compartilham muito ao seu redor, mas somente quando desejam fazê-lo. Um ponto frágil de sua personalidade reside na excessiva confiança que depositam em si próprios, e outro ponto reside na facilidade em acreditar naqueles que o adulam e alimentam a sua vaidade.

O ingresso do Sol em Leão ativa essas qualidades/defeitos dentro de nós, mesmo se não somos leoninos. Os signos mais afetados por essa energia serão naturalmente os outros signos de Fogo, (Áries e Sagitário), mas indiretamente também os signos de Ar, (Gêmeos, Libra, Aquário). No entanto, todos nós podemos aproveitar da energia solar, sempre que o façamos com cautela. O Sol em excesso queima nossa pele, causa queimaduras e pode nos matar de sede e de insolação! O Sol durante esse mês nos oferece toda a sua energia e nós devemos recebê-la e compartilhá-la, canalizando seus benefícios conforme ensina a Cabala. A Terra pode arder, queimar, se incendiar, e os ânimos podem se inflamar gerando conflitos, guerras, destruição e morte. Cabe a nós saber usar essa energia de forma positiva. Podemos começar desde já a efetivar aquelas mudanças que desejamos e que estavam engavetadas. Podemos dar andamento a projetos, preparar planos de ação que nos levaram a trilhar novos caminhos, a mudar de rumo. Sob essa emergia solar nos sentiremos muito mais seguros, autoconfiantes e poderemos seguir rumo aos nossos objetivos com mais segurança.

Durante esse mês devemos nos manter construtivos e proativos de forma aproveitar ao máximo essa energia renovadora que o céu disponibiliza para nós. Ainda mais que com a proximidade do alinhamento do Sol ao planeta Júpiter essa energia será potencializada, expandida e aumentada! Aproveitemos portanto para usar a criatividade, a generosidade, a força, a honestidade e o carisma pessoal, porem façamo-lo não para satisfazer o nosso próprio ego, porque nosso orgulho pessoal será muito testado e poderemos literalmente "cair do cavalo"! Não confundam altivez com orgulho! E não confundam auto-confiança com arrogância! Para superar essa prova capaz de pôr em risco a nossa honra e a nossa respeitabilidade, devemos exercitar a humildade, procurar observar as qualidades de nossos amigos e parceiros, pois nenhum de nossos talentos é realmente nosso: ele nos foi dado pelo Criador para que possamos utilizá-lo para o bem de todos.
Canalizando a energia solar disponibilizada pelo universo durante o mês de Leão, podemos criar ao nosso redor uma energia de abundância, lembrando que colhemos aquilo que plantamos e que devemos compartilhar os frutos recolhidos. Esse é o recado do céu.

Que a Luz do Sol de Leão desça sobre nosso planeta para que reine a Harmonia, a Tolerância, a Paz e o Amor! Uma boa semana a todos!

Graziella Marraccini

terça-feira, 29 de julho de 2014

ALZHEIMER - MÃO ESQUERDA

Sobre o Alzheimer, vale a pena ler mesmo que você não tenha este problema na família.

Roberto Goldkorn é psicólogo e escritor.

Meu pai está com Alzheimer.

Logo ele, que durante toda vida se dizia 'o Infalível'.

Logo ele, que um dia, ao tentar me ensinar matemática, disse que as minhas orelhas eram tão grandes que batiam no teto.

Logo ele que repetiu, ao longo desses 54 anos de convivência, o nome do músculo do pescoço que aprendeu quando tinha treze anos e que nunca mais esqueceu: esternocleidomastóideo.

O diagnóstico médico ainda não é conclusivo, mas, para mim, basta saber que ele esquece o meu nome, mal anda, toma líquidos de canudinho, não consegue terminar uma frase, nem controla mais suas funções fisiológicas, e tem os famosos delírios paranoicos comuns nas demências tipo Alzheimer.

Aliás, fico até mais tranquilo diante do "eu não sei ao certo" dos médicos;
prefiro isso ao "estou absolutamente certo de que...", frase que me dá arrepios.

E o que fazer... para evitarmos essas drogas?

Como?

Lendo muito, escrevendo, buscando a clareza das idéias, criando novos circuitos neurais que venham a substituir os afetados pela idade e pela vida 'bandida'.

Meu conselho:
é para vocês não serem infalíveis como o meu pobre pai;
não cheguem ao topo, nunca, pois dali só há um caminho: descer.
Inventem novos desafios, façam palavras cruzadas, forcem a memória, corram atrás dos vazios e lapsos.

Eu não sossego enquanto não lembro do nome de algum velho conhecido,
ou de uma localidade onde estive há trinta anos..
Leiam e se empenhem em entender o que está escrito, e aprendam outra língua, mesmo aos sessenta anos.

Coloquem a palavra FELICIDADE no topo da sua lista de prioridades:
7 de cada 10 doentes nunca ligaram para essas 'bobagens' e viveram vidas medíocres e infelizes - muitos nem mesmo tinham consciência disso.

Mantenha-se interessado no mundo, nas pessoas, no futuro.

Invente novas receitas, experimente.
Não gosta de ir para a cozinha?
Hum... Preocupante.

Lute, lute sempre, por uma causa, por um ideal, pela felicidade.

Parodiando Maiakovski, que disse 'melhor morrer de vodca do que de tédio',
eu digo: melhor morrer lutando o bom combate do que ter a personalidade roubada pelo Alzheimer.

Dicas para escapar do Alzheimer:
Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém
a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões.

Os autores desta descoberta, Lawrence Katz e Manning Rubin (2000), revelam que NEURÓBICA, a 'aeróbica dos neurônios', é uma nova forma de exercício cerebral projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios em seu cérebro.

Cerca de 80% do nosso dia-a-dia é ocupado por rotinas que, apesar de terem a vantagem de reduzir o esforço intelectual, escondem um efeito perverso; limitam o cérebro.

Para contrariar essa tendência, é necessário praticar exercícios 'cerebrais' que fazem as pessoas pensarem somente no que estão fazendo, concentrando-se na tarefa.

O desafio da NEURÓBICA é fazer tudo aquilo que contraria as rotinas, obrigando o cérebro a um trabalho adicional.

Tente fazer um teste:
- use o relógio de pulso no braço contrário;
- escove os dentes com a mão contrária da de costume;
- ande pela casa de trás para frente;
(vi na China o pessoal treinando isso num parque);
- vista-se de olhos fechados;
- estimule o paladar, coma coisas diferentes;
- veja fotos de cabeça para baixo;
- veja as horas num espelho;
- faça um novo caminho para ir ao trabalho.

A proposta é mudar o comportamento rotineiro!

Tente, faça alguma coisa diferente com seu outro lado e estimule o seu cérebro.

Vale a pena tentar!

Que tal começar a praticar agora, trocando o mouse de lado?

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Quem é você?


Muitos falam de vida fora da Terra.

Não é de hoje que esse assunto assusta muitas pessoas, e para outras dá esperança, pois veem uma humanidade cansada de tantas desgraças e prisões psíquicas desde a era medieval, ou até mesmo antes disso.

Especulações e mais especulações, mas o que a sociedade chamada "de massa" não sabe é que todas as evidências apontam para a mesma resposta. Um exemplo são as pirâmides e sua impossível construção com nossa "maravilhosa tecnologia atual". Mas, de onde vem aquela tecnologia que construiu cada uma dessas pirâmides? Qual seria a semente humana com essa inteligência para criar diversos objetos magníficos ao longo do tempo? Pensar que dentre bilhões de estrelas e galáxias - algumas das quais nem mesmo temos conhecimento - seria um delírio cogitar que há outras formas de vida? Uma loucura? Por que só a raça humana pode habitar um planeta e destruí-lo? De onde vem nossa semente? De onde vêm os deuses que os povos antigos apontavam no céu? Na Bíblia, Deus está no céu, em todos os povos sem distinção é unânime que algo maior vem do céu. Seria essa a nossa origem?

A humanidade que vive pelo capitalismo sem saber o que é realmente o capitalismo, as pessoas nascem, crescem, se reproduzem inconscientemente e morrem sem questionar nada sobre a sua existência. Esta mesma humanidade acomodada prefere se agarrar a ideias antigas da era medieval e em um Deus que castiga caso alguém venha questioná-Lo. No fundo, elas não têm culpa de viverem presas, porque nem mesmo sabem que estão presas.

Temos o resquício da Inquisição dentro de nós, de nossas raízes e de nossos antepassados, que acreditavam em uma Igreja que enforcava, esquartejava e queimava, esse era o antigo governo. Hoje, nosso governo mundial não é mais a Igreja, mas o dinheiro que domina e induz a pensar apenas nele e assim camos presos a tecnologias, comidas cancerígenas, shoppings centers e compras desenfreadas.

Acima do shopping existe um espaço inexplorável, vidas em outra órbita, planos ou galáxias. Quem pensa nisso dentro de um shopping? Ninguém! Temos atividades demais para nos aprisionar, trocaram a Igreja por um novo governo mundial que aprisiona as pessoas como gados para o abatedouro. E, pior do que isso, somos gado que come o próprio gado ao acreditar que não há inteligência, que não há nada e nem sentido algum para nossa vida aqui.

Olhemos os resquícios da história, quando foi que um macaco deu um salto tão grande para poder participar da construção inteligente de armas atômicas? Talvez não tão inteligente assim, uma sociedade sem sustentabilidade não pode ser nunca inteligente.

Está difícil hoje, a massa vive na prisão. Consideremos a ideologia exposta no filme Matrix. Além da ficção, existe algo que a população ignora. É fácil apelidar de louco aquele que teve contatos com seres extraterrenos, intraterrenos ou de outros planos sutis.

Agora, o que fazer? Nossa sociedade se dividiu em três: a massa alienada, os ditos espiritualizados - que na verdade são apenas pessoas conscientes que vivem na dificuldade entre a massa - e o governo mundial que seria a outra classe.

Mas, ninguém sabe quem é o seu governante, pois, se soubesse, seria destruído, porque não é uma única pessoa, mas sim uma corporação gigantesca com várias partes espalhadas pelo globo. Nós ficamos no fogo cruzado, por exemplo, o povo com bandidos: ficamos no meio sem saber o que fazer.

Somos condicionados a não pensar, mas nosso gene- que provém de duas raças - nos deixa no meio entre a prisão e a liberdade de pensamento. Vemos um mundo de desgraças, mas também podemos ver um mundo de evolução e sustentabilidade. Como poderemos criar um mundo onde tecnologia e natureza vivem harmonicamente lado a lado? Isso é perfeitamente possível, mas enquanto existir a prisão psíquica estaremos de mãos atadas.

Devemos esperar um ser divino para interceder por nós? Nós criamos e somos nós que devemos dar um jeito nesta situação. Agora a pergunta: como?

Levamos nossas vidas no caminho do meio e mesmo assim querem nos pegar, invadir nossas mentes e silenciá-las com produtos, mídias e ditas perfeições imperfeitas e aberrativas à nossa real natureza. Vejamos toda a história dos povos primitivos, do legado dos antigos alquimistas e dos cientistas apagados por saberem demais. É importante que veja com seus próprios olhos e sem dogma de "alguém" que impôs falsidades dentro de uma igreja ou nos comerciais de TV. Pense e desligue a TV por um instante e olhe para o céu refletindo qual seria a origem da semente desse mundo. Em breve, o mundo se chocará com a verdade mais cedo ou mais tarde. Ninguém da mídia proposta pelo governo mundial aborda relatos de óvnis. Quando o assunto vem à tona na mídia, eles desqualificam afirmando ser outra coisa.

Nada melhor que dizer a verdade e depois recontar a história, assim acalma o povo. Nós temos a comunicação, mas não podemos vê-los, pois o homem só acredita naquilo que vê e toca, por isso a televisão funciona nas cabeças mundanas. Veja Platão em seu "Mito da caverna", veja outros seres que apontam a mesma história, escavações e desenhos que provam que existe vida além de nossa cabecinha preocupada com o hambúrguer que irá comer, desconhecendo como foi feita a carne sofrida em abatedouros obscuros além de nossa imaginação inocente.

Enquanto uns se divertem, outros morrem por trás dos bastidores, com sangue e sofrimento, para que você possa ficar preso e não acreditar em nada mais que uma nota suja ou na sua chapinha para esticar esse cabelo que lhe foi dado geneticamente por um ancestral que talvez tivesse vindo de outra galáxia ou talvez vindo de um belo macaco saudável habitante das antigas selvas africanas.

Antes de nós, já existiam seres que - invisivelmente - lutam para preservar esse mundo que aparentemente não vale mais que o seu desperdício e a sua falta de consciência quando sente raiva e julga o outro sem antes saber de onde mesmo você e sua raça vieram.

Olhe e veja, não seja tolo e se aprisione naquilo que o padre falou, pois nem mesmo ele viu Deus ou não admite aos outros que todos tivemos contato extraterrestre desde o princípio da existência da Terra no espaço.

Até que, pela lógica ser cego e aprisionado nesse mundo sem saber da verdade, é até melhor e cômodo, mas acontece que assim nunca haverá evolução. A evolução que deve acontecer daqui a 100 anos chegará tarde, pois, até lá, provavelmente não teremos mais recursos naturais e os gados da massa verão que foram apenas gados para os governantes ocultos.

Comecemos a pensar antes que seja tarde, ou quem sabe já é, mas ainda temos a esperança, este fator que rege o ser humano a ir até os confins de seu limite e achar forças para superar e fazer tudo melhor.

Sejamos mais lógicos e racionais, pois o medo da verdade nos aprisiona. Pense por você por um instante e verá o quanto é triste ficar sem saber da verdade. É como se fossemos meras marionetes assustadas, pois na verdade não conhecemos nada e achamos que conhecemos de tudo.

Nisso tudo só me basta achar que a humanidade foi um erro, mais ainda assim erros são a prova de acertos futuros e o futuro depende de cada um que rege a teia do mundo. Todos nós fazemos parte, queiramos ou não, da ligação cósmica entre mundos e civilizações do passado e do futuro.

Como será a civilização do futuro? Depende daquilo que iremos plantar e só planta algo aquele que tem o conhecimento ou procura tê-lo de alguma forma, vivendo não como um zumbi alienado, mas como um ser consciente de sua evolução.

Faça um planeta sustentável, comece por você. Aquele que vive na mentira não pode se sustentar, então seja sustentável e consciente para poder formar um novo mundo fora da farsa dita realidade, a qual foi imposta para controlar a massa, um povo sem princípios, inteligência e educação.

Não espere que o povo mude. Isso é besteira. Vamos juntando aqueles que enxergam o outro lado da moeda, faça uma família, junte-se aos semelhantes, pois esperar, não viveremos até 3000, onde talvez mudando o mundo hoje com nossas opiniões, lá no futuro possa ser modicado. A mudança que deixamos aqui não é para o agora, mas para um futuro longínquo.

Vamos fazer o que nos cabe, formando uma família de idealizadores e pensadores, assim como fez Platão na antiguidade, assim como fizeram outros iluminados e só hoje vemos a mudança e herança que estes nos deixaram.

Você não está só, estamos apenas espalhados em meio de uma grande massa que não sabe para onde ir porque não pensa que existe a ida a mundos imagináveis ou nada além de suas vidas parasitas. Não culpe a humanidade, eles não sabem, mas se você sabe agora é hora de nos juntarmos á luz de um novo amanhã, mesmo que daqui 200 anos ou mais. A hora de fazer o futuro é agora. Vamos juntar nossos conhecimentos e ideias, vamos florescer um mundo desertificado pela ignorância. Não estamos aqui por mero acaso! Não desperdice a sua inteligência!

Letícia de Castro
GERAÇÃO Z | JUNHO 2014

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ho'oponopono - Liberando Memórias

MEDITAÇÃO PARA LIBERAÇÃO DE PADRÕES E PROGRAMAS MENTAIS NEGATIVOS.

Esta meditação foi gravada para distribuição gratuita. Nela foi inserida uma oração de reprogramação de Karol Truman, publicada e distribuída gratuitamente através da internet no E-Book 'Marketing Espiritual' de Joe Vitale.

sábado, 19 de julho de 2014

Libertação do sofrimento - Ego - entrevista com Eckhart Tolle

Dentro de nossa mente existem centenas de personagens que agem sobre nós com vida própria. A libertação do sofrimento está na desidentificação destes pensamentos-entidades para que assim alcancemos a paz interior, a prosperidade e a verdadeira felicidade interna.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Eckhart Tolle - O Despertar Interior

Trecho do dvd "Simple Truth" no qual Tolle descreve o que ocorreu nos seus 29 anos, como ele teve o despertar interior e com isso ficou completamente em paz. Tolle também escreveu o livro o PODER DO AGORA, um livro precioso para ser lido várias vezes e praticado. Um livro que explica muito bem o poder da meditação e a necessidade desta prática na vida diária.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Papo Supren com Amit Goswami

O programa Papo Supren, apresentado pelo empresário Eduardo Weaver, exibiu uma entrevista exclusiva com Amit Goswami, um dos maiores nomes da física quântica no mundo. Durante o programa, o P.h.D em física quântica, Amit Goswami, falou da Física Quântica como uma ponte entre filosofia, religião, ciência, saúde e espiritualidade, e questionou o paradigma cartesiano adotado, segundo ele, pela grande maioria dos cientistas -- principalmente os da área social e de humanas -- e pelos políticos.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Tesla: A Geometria do Universo

"Se você quer descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, freqüência e vibração." - Nikola Tesla

Essa experiência se consistem em fazer vibrar uma placa de metal usando um gerador tonal e jogar pequenos cristais de quartzo (areia) sobre essa placa. À medida que a placa vibrar com o som do gerador tonal, a areia começará a pular e formará padrões geométricos, que mudarão de forma conforme o som muda de tom.

Resumindo: O som gera forma, e a forma emite som (e ambos possuem cor)

Agora reflitam por um momento: o que acontece com a estrutura cristalina de seu cérebro e corpo quando se entoa um mantra sagrado (OM)?

terça-feira, 15 de julho de 2014

Royal Raymond Rife: A cura de todas as doenças

Conheça Royal Raymond Rife, mais um gênio esquecido e desprezado. Tal como aconteceu com Nikola Tesla, também Rife pagou caro por suas invenções.



Este brilhante cientista (1888-1971), após estudar no Johns Hopkins, desenvolveu uma tecnologia que ainda hoje é usada nos campos da ótica, eletrônica, radio-química, bioquímica, balística e aviação.

Os modernos microscópios eletrônicos matam instantaneamente tudo o que estiver sob ele, vendo apenas os restos mumificados e os detritos. O que o microscópio de Rife podia ver era a atividade de viroses viventes enquanto eles mudavam de forma para se acomodar ás mudanças no ambiente.

Rife, identificou meticulosamente a assinatura espectroscópica individual de cada micróbio. Ele então girou lentamente prismas de blocos de quartzo para focar a luz de comprimento de onda único sobre os microorganismos que estava examinando. Este comprimento de onda foi selecionado porque ressonava com a frequência da assinatura do espectroscópio do micróbio baseado no fato agora estabelecido de que cada molécula oscila em sua distinta frequência.

Os átomos que se juntam para formar uma molécula são mantidos juntos nessa configuração molecular com uma cadeia de energias covalentes que emite e absorve sua própria frequência eletromagnética específica. Nenhuma entre duas espécies de moléculas tem as mesmas oscilações eletromagnéticas ou assinatura energética. A ressonância amplifica a luz da mesma maneira que duas ondas do oceano intensificam uma a outra quando se juntam.

O resultado de usar um comprimento de onda ressonante é que os microorganismos que são invisíveis na luz branca repentinamente se tornam visíveis em um brilhante flash de luz quando são expostas à frequência de cor que ressona com a sua própria e distinta assinatura espectroscópia. Rife, viu estes organismos, invisíveis de outra forma, invadindo ativamente culturas de tecidos. A descoberta de Rife possibilitou a ele ver organismos que ninguém mais poderia ver com microscópios comuns.



Mais de 75% dos organismos que Rife podia ver com seu Microscópio Universal são visíveis somente com a luz ultravioleta. Mas a luz ultravioleta está fora do âmbito da visão humana, é invisível para nós. O gênio de Rife permitiu-lhe superar esta limitação pelo heteródino, que basicamente, é uma técnica de combinar dois sinais para obter um terceiro sinal. Ele iluminou o microscópio (geralmente um vírus ou bactéria) com dois comprimentos de ondas da mesma frequência da luz ultravioleta que ressonava com a assinatura do espectro do micróbio. Estes dois comprimentos de ondas produziam interferência onde eles se juntaram.

Esta interferência era, em efeito, uma terceira onda, mais longa que adentrou a porção visível do espectro eletromagnético. Foi assim que Rife tornou visíveis os micróbios invisíveis sem matá-los, um feito notável que os microscópios eletrônicos atuais não podem repetir.

Neste tempo, Rife estava tão à frente dos seus colegas dos anos 1930 que eles não poderiam compreender o que ele estava fazendo, sem ir ao laboratório de Rife em San Diego. Muitos fizeram exatamente isso e viram com seus próprios olhos.

Uma delas foi Virginia Livingston. Ela finalmente se mudou de New Jersey para Point Loma nos arredores de San Diego e se tornou uma frequente visitante do seu laboratório. Hoje, é frequentemente dado a Virginia Livingston o crédito por identificar o organismo que causa o câncer humano, começando pelas pesquisas que ela começou a publicar em 1948.

Na realidade, Royal Raymond Rife tinha identificado o vírus do câncer humano primeiro ... nos anos 20! Então, fez mais de 20.000 tentativas sem sucesso para transformar células normais em células tumorais. Finalmente conseguiu quando irradiou o vírus do câncer, o passou pelo filtro ultrafino de porcelana que retia células e injetou em animais de laboratório. Não satisfeito em provar que este vírus causava um tumor, Rife então criou 400 tumores em sucessão a partir da mesma cultura.


Documentou tudo em filme, fotografias e registros meticulosos. Deu ao vírus do câncer o nome “Cryptocides Primordiales”. Virginia, em seus papéis, o renomeou “Progenitor Cryptocides”. Royal Rife nunca foi nem mesmo mencionado em seus papéis. De fato, Rife raramente obteve o crédito por suas descobertas monumentais. Ele era um cientista quieto e modesto, dedicado a expandir suas descobertas, mais do que ambições, fama e glória.

Rife também trabalhou com cientistas e doutores renomados do seu tempo, que também confirmaram ou endossaram várias áreas do seu trabalho. Aumentando a intensidade de uma frequência que ressonava naturalmente com estes micróbios, Rife aumentou suas oscilações naturais até que distorcessem e se desintegrassem. Rife chamou esta frequência de “taxa oscilatória mortal (TOM), e não causou danos nenhum aos tecidos vizinhos.

Os instrumentos de Rife atuais usam certas frequências selecionadas e seus harmônicos para executar o trabalho. Estes princípios podem ser ilustrados pelo uso de uma intensa nota musical para quebrar uma taça de vidro: as moléculas do vidro já estão oscilando em algum harmônico (múltiplos) dessa nota musical. Nada além do vidro é destruído. Há literalmente centenas de trilhões de frequências de ressonâncias diferentes.


Rife levou muitos anos até descobrir as frequências que destruiam especificamente herpes, pólio, meningite espinhal, tétano, influenza e um número imenso de outros organismos causadores de doenças perigosas.

Em 1934, a Universidade da Califórnia do Sul formou um comitê especial de pesquisa médica para trazer pacientes de câncer terminal do Hospital de Pasadema County para o laboratório e clinica de Rife em San Diego para tratamento. A equipe incluia doutores e patologistas reconhecidos para examinar os pacientes – se ainda vivos – em 90 dias.

Após os 90 dias de tratamento, o comitê concluiu que 86,5% dos pacientes tinham sido completamente curados. O tratamento foi então ajustado e os restantes 13,5% também reagiram nas 4 semanas seguintes. O índice de recuperação total usando a tecnologia de Rife foi de 100%.

Em 20 de novembro, 44 das mais respeitadas autoridades médicas do país honraram Rife com um banquete anunciando “o fim de todas as doenças” sob os cuidados do Dr. Milbank Johnson em Pasadema. Mas em 1939, quase todos estes distintos doutores e cientistas negaram o encontro. O que aconteceu para fazer com que tantos homens brilhantes tivessem esse completo lapso de memória? Parece que a notícia do milagre de Rife com pacientes terminais tinha chegado a outros ouvidos.


Em primeiro lugar, uma tentativa foi feita para “comprar” Rife. Morris Fishbein, que tinha adquirido todo o estoque da Associação Médica Americana em 1934, enviou um advogado/procurador a Rife com um oferta que foi recusada. Nunca soubemos os termos exatos desta oferta. Mas sabemos os termos da oferta que Fishbein fez para Harry Hoxsey para controlar o seu remédio herbal contra câncer. Os associados de Fishbein receberiam todos os lucros por nove anos e Hoxsey não receberia nada. Depois, se eles estivessem contentes com o desempenho do produto, Hoxsey passaria a receber 10% dos lucros. Hoxsey decidiu continuar o negócio sozinho.

Quando Hoxsey recusou a proposta de Fishbein, este valeu-se das suas conexões políticas imensamente poderosas para prender Hoxsey 125 vezes em 16 meses. As acusações (baseadas em prática sem licença) foram sempre removidas no tribunal, mas o tormento levou Hoxsey à loucura.

Mas Fishbein deve ter concluído que a sua estratégia não funcionaria com Rife. Primeiro, Rife não poderia ser preso por prática sem licença como Hoxsey. Um acusação falsa significaria que as testemunhas de defesa de Rife seriam apresentadas por proeminentes autoridades médicas que trabalhavam com ele. E a defesa teria a oportunidade de apresentar evidência como o estudo médico de 1934 feito com o comitê americano.

A última coisa no mundo que a indústria farmacêutica queria era uma audiência pública sobre a terapia sem dor que curou 100% dos pacientes terminais de câncer e não custa nada além de um pouco de eletricidade.

E finalmente, Rife tinha gasto décadas acumulando meticulosa evidência de seu trabalho, incluindo filmes e fotografias de imagens congeladas. O primeiro incidente foi o gradual roubo de componentes, fotografias, filmes e registros escritos do laboratório de Rife. O ladrão nunca foi pego. Então, enquanto Rife se esforçava para reproduzir seus dados perdidos , alguém vandalizou seus preciosos microscópios de vírus. Peças do seu microscópio de 5682 partes foram roubadas.

Antes, um incêndio provocado tinha destruído o laboratório de Burnett de vários milhões de dólares, justamente quando cientistas estavam se preparando para anunciar a confirmação do trabalho de Rife. Mas o pior aconteceu mais tarde, quando a polícia confiscou ilegalmente o restante dos 50 anos de pesquisas de Rife.

Os jornais médicos, patrocinados quase que inteiramente pelos anúncios das empresas de drogas e controlados pela AMA, recusaram publicar qualquer artigo de qualquer um envolvido com a terapia de Rife. Portanto, uma geração inteira de estudantes de medicina se formaram e começaram a trabalhar sem nunca terem ouvido falar dele.

A conclusão inevitável alcançada por Rife foi que o trabalho feito durante toda a vida e as suas descobertas não só tinham sido ignoradas, mas provavelmente seriam enterradas com ele. Naquele ponto, ele parou de produzir e gastou o último terço da sua vida se afogando no alcoolismo.

Mais uma vez, interesses financeiros mesquinhos privaram a humanidade de descobertas científicas maravilhosas. Você pode imaginar como seria um mundo sem doenças?

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Nikola Tesla, Gênio Humanitário


Pergunte a qualquer garoto de uma escola: "quem inventou o rádio?". Se você obtiver uma resposta, ela será sem dúvida Marconi – uma resposta com a qual as enciclopédias e os livros de texto concordam. Ou faça uma outra: "quem inventou os materiais que compõem sua tostadeira, seu som estéreo, a iluminação pública, e permite às fábricas e escritórios funcionarem? Sem hesitação, Thomas Edison, certo? Errado em ambos os casos. A resposta correta é Nikola Tesla, uma pessoa que você provavelmente nunca ouviu falar. Há mais. Ele descobriu os raios-X um ano antes que W. K. Roentgen o fizesse na Alemanha, ele construiu um amplificador a válvula antes de Lee de Forest, estava usando luzes fluorescentes em seu laboratório 40 anos antes que a indústria os "inventasse", e demonstrou os princípios usados nos fornos de microondas e radar décadas antes que eles se tornassem uma parte integral de nossa sociedade. Não obstante, não associamos o seu nome com nenhum deles.

Por cerca de 20 anos na virada do século, ele foi conhecido e respeitado nos círculos acadêmicos mundiais, correspondeu-se com físicos eminentes de sua época, incluindo-se Albert Einstein, foi citado e consultado em matéria de ciência elétrica, adotado pela alta sociedade de Nova Iorque, respaldado por gigantes das finanças e da indústria tais como J. P. Morgan, John Jacob Astor e George Westinghouse. Teve como amigos eminentes artistas, tais como Mark Twain e o pianista Ignace Paderewski. Contam-se às dúzias os seus graus honoríficos, prêmios (inclusive o Nobel) e outras citações.

Tesla nasceu em Smijlan, Croácia, em 1856, filho de um clérigo e de uma inventiva mulher. Ele tinha uma extraordinária memória, que tornou-lhe fácil aprender seis idiomas. Entrou para a Escola Politécnica em Gratz, onde por quatro anos estudou matemática, física e mecânica, confundindo mais de um professor pela sua extrema compreensão da eletricidade, uma ciência ainda na infância, naqueles dias. Sua carreira prática começou em Budapeste, Hungria, em 1881, onde fez sua primeira invenção elétrica, um telefone repetidor (um alto-falante comum), e concebeu a idéia de um campo magnético rotativo, o qual mais tarde tornou-o mundialmente famoso, na forma de um moderno motor de indução. O motor de indução polifásico é que fornece energia para virtualmente todas as aplicações industriais, de correias transportadoras a guinchos para máquinas operatrizes.

As habilidades mentais de Tesla requerem alguma menção, desde que, não somente ele tinha uma memória fotográfica, como também possuía a habilidade de usar uma visualização criativa com uma intensidade fantástica. Ele descreve em sua autobiografia, quão hábil ele era para visualizar um aparato em particular, testá-lo realmente, desmontá-lo e checá-lo, para que funcionasse na prática. Durante a fabricação de suas invenções, ele trabalhava com todos os planos e especificações em sua cabeça. O invento, após ser montado sem nenhuma modificação, funcionava perfeitamente. Tesla dormia apenas uma ou duas horas por dia, e trabalhava continuamente em suas invenções e teorias sem descanso e sem tirar férias. Podia avaliar as dimensões de um objeto ao centésimo de polegada, e realizar difíceis cálculos em sua cabeça, sem ajuda de régua de cálculo ou tábuas matemáticas. Muito longe de ser um intelectual em sua torre de marfim, ele tinha muita consciência do mundo à sua volta, fazia questão de tornar acessíveis as suas idéias ao público em geral, através de freqüentes artigos escritos para os jornais, e em seu próprio âmbito, através de palestras e artigos científicos.

Ele decidiu vir para os EUA em 1884. Trouxe com ele vários modelos dos primeiros motores de indução, que depois de um breve e infeliz período trabalhando para Edison, foram mostrados a George Westinghouse. Foi nas oficinas de Westinghouse que o motor de indução foi aperfeiçoado. Numerosas patentes foram tiradas desta invenção inicial, todas sob o nome de Tesla.

Tesla trabalhou brevemente para Thomas Edison quando veio para os estados Unidos, criando muitos melhoramentos nos motores e geradores de Corrente Contínua de Edison, mas deixou-o após muitas controvérsias, e de Edison ter-se recusado a honrar suas promessa de pagar bônus e direitos. Este foi o começo de uma rivalidade que veio a ter péssimas conseqüências mais tarde, quando Edison e seus financiadores fizeram tudo ao seu alcance para deter o desenvolvimento e a instalação do sistema de Tesla, muito mais eficiente e prático, de distribuição de energia urbana através de energia de Corrente Alternada. É curioso que Edison fez com Tesla o mesmo que os antigos fornecedores de iluminação pública à gás fizeram contra ele, tentando desprestigiá-lo e ao seu invento: a iluminação pública por Corrente Contínua. Edison levou às cidades um tipo de show no qual tentava retratar a Corrente Alternada como perigosa, chegando ao ponto de eletrocutar e matar animais pequenos e grandes (em um caso, um elefante) perante grandes audiências. Como resultado desta campanha de propaganda, o estado de Nova Iorque adotou a eletrocussão por Corrente Alternada como método para executar condenados. Tesla ganhou a batalha, ao demonstrar a segurança e a utilidade da Corrente Alternada, quando iluminou e forneceu eletricidade à Feira Mundial de Nova Iorque de 1899.

O mais importante trabalho de Tesla ao final do século dezenove foi um sistema original de transmissão de energia através de antena. Em 1900, Tesla obteve suas duas patentes fundamentais sobre transmissão de energia sem fio, que envolviam o uso de quatro circuitos sintonizados. Em 1943, a Suprema Corte dos Estados Unidos concedeu a Nikola Tesla plenos direitos sobre a patente de invenção do rádio, substituindo e anulando qualquer reclamação anterior de Marconi e outros, em relação à "patente fundamental do rádio". É interessante notar que Tesla, em 1898, descreveu não somente a transmissão da voz humana, mas também de imagens, e posteriormente projetou e patenteou dispositivos que envolviam as fontes de energia que fazem funcionar os tubos de TV atuais. As primeiras e primitivas instalações de radar, em 1934, foram construídas seguindo os princípios, principalmente os relativos a freqüência e potência, já descritos por ele em 1917.

Em 1889 Tesla construiu uma estação experimental em Colorado Springs, onde ele estudou as características da alta freqüência, ou de freqüências de rádio em corrente alternada. Lá ele desenvolveu um potente rádio transmissor em um projeto singular, e também um número de receptores "para individualizar e isolar a energia transmitida". Ele realizou experiências para estabelecer as leis da propagação das ondas de rádio, as quais estão atualmente sendo "redescobertas", e mesmo verificadas, após alguma controvérsia, nas altas energias da física quântica.

Tesla escreveu em "Century Magazine" de 1900: "...que a comunicação sem fio para qualquer ponto do globo era possível. Minhas experiências mostraram que o ar em sua pressão normal torna-se um condutor, e isto abre um panorama maravilhoso para a transmissão de grandes quantidades de energia elétrica para propósitos industriais a grandes distâncias sem o uso de fios... sua realização prática poderia significar que a energia estaria disponível ao uso humano em qualquer ponto do globo. Não posso conceber nenhum avanço técnico que poderia, melhor do que este, unir toda a humanidade, ou que poderia mais e mais economizar a energia humana... ". Isto foi escrito em 1900! Depois que terminou os testes preliminares, o trabalho começou em uma estação tamanho gigante em uma praia recuada de Long Island. Tivesse entrado em operação, ela poderia prover enormes quantidades de energia elétrica para os circuitos receptores. Depois da construção de um prédio de geração (ainda de pé) e uma torre de transmissão de cerca de 55 metros de altura (dinamitada durante a Primeira Guerra Mundial, sob o dúbio pretexto de ser uma referência potencial para a navegação de barcos alemães, os U-boats), o suporte financeiro para o projeto foi repentinamente cortado por J. P. Morgan, quando tornou-se manifesto que tal projeto de fornecimento de energia não poderia ser medido e nem cobrado.

Uma outra das invenções de Tesla, que é familiar a qualquer um que já tenha possuído um automóvel, foi patenteada em 1898 sob o nome de "ignição elétrica para motores a gasolina". Mais comumente conhecida como o sistema de ignição do automóvel, seu principal componente, a bobina de ignição, permanece praticamente sem mudanças desde o seu aparecimento, na virada do século.

Nikola Tesla também projetou e construiu protótipos de uma máquina rotativa por queima de combustível incrível, baseada em um projeto anterior de uma bomba rotativa. Testes recentes que tem sido realizados na turbina a disco sem hélice indicam que, se construída usando materiais cerâmicos para alta temperatura recentemente desenvolvidos, colocar-se-ia entre os mais eficientes motores a gasolina do mundo, sobrepujando nossos atuais motores de combustão interna a pistão, em economia, longevidade, adaptabilidade a diferentes combustíveis, e relação custo/potência.

A generosidade de Tesla eventualmente deixou-o sem fundos suficientes para prosseguir realizando as suas invenções. O seu idealismo e humanismo deixavam-no desanimado com as intrigas do mundo industrial e financeiro. Seu laboratório de Nova Iorque foi destruído por um incêndio misterioso. Referências ao seu trabalho e às suas realizações foram sistematicamente expurgadas da literatura científica e dos livros de texto. Levado a um exílio fechado em um hotel de Nova Iorque entre as duas guerras, 20 anos de uma potencialmente rica e produtiva contribuição foram tiradas de nós. As únicas ocasiões em que aparecia em público eram nas entrevistas anuais à imprensa na data de seu aniversário, que ele descreveria invenções espantosas e de grande alcance, e sobre as possibilidades da tecnologia. Elas eram distorcidas pela imprensa sensacionalista, particularmente quando ele descrevia sistemas de armas avançadas às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Morreu na obscuridade em 1943. Somente o FBI percebeu: eles vasculharam seus papéis (em vão) procurando pelo projeto da "máquina do raio da morte". É interessante notar que a motivação para o sistema de defesa "Guerra nas Estrelas" dos EUA foi baseado no receio de que os soviéticos tivessem começado a empregar armas baseadas nos princípios de alta energia de Tesla. Relatos públicos de "ofuscamento" de satélites de vigilância dos EUA, bolas de fogo e relâmpagos anômalos a altas altitudes, interferências de ondas de rádio ELF [Extremely Low Frequency - Freqüência Extremamente Baixa (geralmente, abaixo de 300 Hz)], e outros casos, emprestaram crédito a esta interpretação.

Mais uma vez, por causa dos interesses financeiros e políticos, a humanidade ficou privada de invenções e avanços tecnológicos que teriam, em grande parte, acabado com muitas das mazelas que atualmente temos em nossa sociedade.

Se as invenções de Tesla fossem aplicadas naquela época, teríamos internet, wi-fi e energia elétrica abundante e gratuita, entre outras, já no século 19. Imaginem o que não teríamos agora...

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Frases de Gaiarsa



“O pior inimigo da iluminação é a explicação, a argumentação, o esclarecimento verbal.”

“Todo mundo sofre com a família, mas todos tendem a achá-la maravilhosa.”

“O amor nos tira do mundo habitual e vai criando um revolucionário , um fora-da-lei, um marginal, isto é, um agente da transformação social.”

“O drama é este: o que mais nego em mim é o que mais aparece em mim”.

"Somos todos policiais do sistema. Todos vigiam todos para que ninguém faça o que todos gostariam de fazer. Somos todos carcereiros e prisioneiros."

“O amor é o fim da dominação e da opressão. Só o amor pode nos humanizar, e a família é o principal obstáculo à expansão do amor entre as pessoas.”

“Quem conseguiu impedir sua criança de ser excessivamente bem educada, conserva a capacidade de perceber e reagir ao novo. Atitude verdadeiramente característica da infância--como também curiosidade e entusiasmo permanentes.”

“As pessoas muito contidas e controladas são velhas desde o começo.”

“Se você for a um médico que hesita, consulta papéis, coça a cabeça, você vai ficar desconfiado e confuso. No entanto, ele pode ser mais honesto e consciencioso que outro que posa de doutor, solene, pomposo --e vazio! Quanto maior a pose, menor o conteúdo.”

“Criança de três anos, em testes compatíveis com a idade, são quase todas geniais; aos vinte, o rendimento intelectual cai a 15%, mostrando que a educação é primariamente um processo restritivo que limita, que fecha a cabeça, o corpo, prende.”

“Só crianças muito oprimidas e anuladas fazem gritarias e exigências desencontradas.”

quinta-feira, 10 de julho de 2014

O Amor


Fala-se dele ha dois milênios e Jesus Cristo morreu por que disse isso. Nossa Sociedade organizada em “pirâmide” – torna a todos inimigos de todos (competidores). Talvez por isso estejamos caminhando para um amargo fim – espécie inviável…O pior inimigo do amor é a esperança-exigência de que ele dure para sempre – de que ele seja “garantido” (casamento). Mas o amor é uma troca profunda demais para durar. O fundamento destas afirmações é neuro-fisiologico.

O amor é a própria lucidez
Ao contrário do que dizem seus inimigos mortais, o amor, longe de ser cego ou cegar as pessoas, é a própria lucidez e o guia a nos mostrar com clareza o mais vivo de nós dois.

O amor - é só ele - nos tira do comum
Só durante o estado amoroso estamos acontecendo.
Fora dele, vegetamos e nos confundimos com todas as rotinas da vida e os papéis estereotipados dos que nos cercam - e que, em resposta, encenamos.

O amor - é só ele - nos tira do comum, do cotidiano, do sistema, da alienação.
Por isso dissemos: o amor individualiza a pessoa e o momento - lembra-se? Só quando estamos amando existimos, você não acha?

O amor nos distancia de qualquer rotina
O amor nos distancia completamente de qualquer rotina, repetição, tédio, enjôo… Ele nos põe distantes de tudo o que conhecemos e de quanto estamos fazendo na vida - fora dos momentos amorosos.

Doença é falta de amor
Doença é falta de amor ou presença de maus sentimentos - de abandono, rancor, desespero, medo, preocupação, azedume, mágoa; é também a convicção de não ser ninguém, de não ter vivido, de não estar vivendo mas apenas vegetando, repetindo, repetindo, repetindo sempre tudo, no trabalho, na família até no lazer.


José Ângelo Gaiarsa

quarta-feira, 9 de julho de 2014

O que é ter inteligência amorosa?


Ter inteligência amorosa é, antes de qualquer coisa, ter auto-estima, saber a hora certa de falar e de calar, de chegar e de se retirar, de impor e de aceitar. E como diz o psiquiatra e escritor José Angelo Gaiarsa, "é a arte de se relacionar bem com os outros, de ter tato, de perceber o parceiro. De ter a percepção do não-verbal: o rosto, o tom de voz o sorriso. Tudo isso quer dizer muitas coisas", diz ele.

Mas muitas pessoas são inteligentes em todos os aspectos da vida, e quando chega a hora de se relacionar amorosamente não conseguem se dar bem: pressionadas pelo mundo, pela competitividade (que o mercado de trabalho impõe), pela mídia (que estabelece padrões de comportamento) pela família e pelos amigos (que cobram status e estado civil), tornam-se presas fáceis de sua ansiedade e da falta de tato. Resultado: frustração.

"Quando você se dá bem com alguém, a convivência é como uma dança", explica o Dr. Gaiarsa. "Dançar é ter inteligência amorosa com esta pessoa, e significa olhar bem, ouvir com atenção a música da voz, dialogar usando a percepção: não é entender o outro com a cabeça nem dialogar com as palavras; é perceber o outro inteiramente", ensina.

Atitudes de amantes inteligentes.

De nada adianta ser extremamente apaixonado(a), fazer juras de amor, dar milhões de presentes e ser um(a) expert na cama se você não tiver inteligência amorosa: amar, só - mesmo que seja muito - não é o suficiente
para que uma relação vá em frente. Ou, o que ainda é mais difícil, para que ela dê certo.

Ter inteligência amorosa significa não ter preguiça de perceber o seu próprio comportamento ( prestar atenção nas próprias atitudes), como também o comportamento do parceiro. É, também, um exercício de doação, generosidade e maturidade.

Algumas atitudes que significam inteligência amorosa:

-Aceitar que o parceiro mantenha amizade com pessoas que você não aprecia - se não se tratar de gente do mal, mas apenas de uma antipatia sua.
Escolher as amizades dele(a) não é um direito seu.

-Respeitar e aceitar opiniões e atitudes do outro, mesmo que, a princípio, você tenha a sensação de estar sendo desconsiderado(a). O sentimento de desconsideração quase sempre já vem embutido na discordância. Antes de discutir, avalie as reais conseqüências da divergência.

-Entender que quando o outro prefere ficar só ou encontrar os amigos não está rejeitando você - a rejeição é um sentimento negativo, que faz mal e que facilmente pode tomar conta de pessoas apaixonadas. Aprender a dividir o(a) parceiro(a) com outras pessoas (no sentido de reconhecer a autonomia de quem amamos) não somente é saudável como também é um exercício de maturidade e generosidade.

-Não entrar no jogo do outro, quando ele(a) está nervoso(a) e provoca uma briga. Saber ficar calado(a) e manter a calma diante de uma provocação é a melhor maneira de evitar desentendimentos desnecessários e desgastantes.

-Ser capaz de fazer uma crítica ou uma queixa de forma direta, objetiva e tranqüila - e, dessa forma, evitar cobranças, não deixando que a reclamação original evolua para uma lista de queixas ou de defeitos.
Assim, não terminar a questão com uma briga.

- Não varrer problemas ou divergências para debaixo do tapete esperando que as coisas se resolvam sozinhas, nem fechar a cara e ficar em silêncio para encerrar um assunto difícil - mas esperar o momento mais propício (quando ambos estiverem calmos e, portanto, capazes de dialogar) para resolver as coisas.

Parece dificil, não é, gente?

Mas dá pra começar a colocar em prática
Vamos?

José Ângelo Gaiarsa
psiquiatra e escritor

terça-feira, 8 de julho de 2014

Gaiarsa


Minha homenagem a José Ângelo Gaiarsa, falecido dia 16 de outubro de 2010 com 90 anos de idade.

Eu era jovem, cerca de vinte anos de idade. Entrei em seu consultório. Havia uma imagem na parede, parecia uma foto, de uns trinta centímetros de altura talvez - Jesus sorria.

Assim conheci Gaiarsa, que na intimidade de minha mente eu chamava de José Angelo. Angelo de Anjo. Anjo do Bem, que desmistificava conceitos obtusos e falsos de família entre tantas outras coisa absurdas.
Foi um libertador.

Libertava homens e mulheres das amarras criadas por sociedades torturadoras.
Quem me indicara seu nome fora Dodi Maia Rosa, artista plástico, amigo de um amigo.
Minhas inquietações dos vinte anos. Sem dúvida, dizia Dodi, ele poderá ajudá-la.
Quanto ajudou.

Fazíamos terapia em grupo. Nem me lembro quantas pessoas éramos. Quem era eu, entao?
Já nem reconheço a jovem mulher procurando liberdade para ser, sentir, interser, viver sem medos, culpas, rancores, dores.
Jesus sorria.
Gaiarsa era leve, macio, firme forte.
A sensualidade não entrou em nosso relacionamento.
Havia algo muito, mas muito maior. Alguma coisa mais importante.
Ele me ouvia, ele me entendia, ele me libertava de mim mesma.
Eu o ouvia, eu o entendia, eu me ouvia, eu me entendia, eu me libertava de mim mesma.

Depois me tornei jornalista, abandonei jornalismo, viajei o mundo.
Entrei para o Zen, tornei-me monja e o reencontrei.
Ambos palestrantes em algum local.

Não na mesma mesa, não no mesmo momento.
Mas ele estava lá.
Lindo, radiante, forte, macio, exuberante.
Abracei e beijei meu amado amigo, mestre, terapeuta - gente de verdade.
Tanto meu entusiasmo que ele me disse: "chega".
Será que eu posso parar de o agradecer? Chega de chegar ou chega de não chegar?
As inúmeras mudanças e transformações de minha vida estão amarradas ao seu cérebro brilhante, incessante, luminoso.

Alguns o chamavam de Guru.
Gaiarsa foi um mestre.
Um grande mestre da vida.
De apreciar a vida.
De libertar seres.
Sem máculas, sem manipulações.

E o reencontro novamente, numa ordenação monástica no Mosteiro de São Bento.
Carregava uma bengala, que o carregava com ela.
Sorrindo.
Fez outro monge? Psiquiatra que transforma pessoas em religiosos das mais diferentes ordens espirituais.

No caminho, caminhamos.

Agora me despeço de você comovida. Como vida.

Na última vez que o vi, tomava café com leite, pão com manteiga ao lado de Otávio Leal na Humaniversidade.

Morreu dormindo, por volta das cinco horas da manhã, sábado, disse sua neta aos jornais.

Estarei orando por 49 dias, de sete em sete dias, todas as sextas feiras - afinal não eram as sextas feiras nosso grupo de terapia?
Orando - que passe por todos os bardos como uma luz brilhante.
Que ilumine e liberte a todos e todas que se encontrem em seu caminho.
Que irradie essa inteligência exuberante, essa ternura encantadora à toda criação.

Ser mestre, ser mestra é libertar pessoas.
É fazer com que cada ser encontre sua plenitude.
É o fazer sem o fazer...apresentar, criar condições e percepções mais amplas. Sem medo, pois tudo e todos estão interligados, interconectados.

Ser mestre não é ter uma cadeira especial e uma reverência formal.
É, sem esperar nada em troca, fazer o bem.
Fazer o bem a todos os seres.

Na Ordem dos Fazedores da Paz, Zen Peacemaker Order, os Três Preceitos de Ouro do Budismo são assim interpretados:

O tradicional Não fazer o mal se torna Não saber, abandonar idéias fixas sobre eu mesma e o universo
O tradicional Fazer o Bem se torna Testemunhar o sofrimento e as alegrias do mundo
O tradicional Fazer o Bem a Todos os Seres se transforma em Ações Amorosas

José Angelo Gaiarsa, cidadão de Gaia, foi, é e sempre será capaz de manter esses Três Preceitos Puros.
Sua obra continua em seus livros, DVDs, discípulos, filhos, netos e netas, palestras e em todas nós que o ouvimos e o entendemos.

Budas não aparecem nem desaparecem.
Na paz de Nirvana.

Mãos em prece
Monja Coen

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Chakra da Coroa

7) SAHASRARA CHAKRA- O nome sahasrara significa, em sânscrito, o lótus das mil pétalas

Esse chakra, que possui a cor violeta, situa-se no alto da cabeça. 

Corresponde ao plexo cerebral e está ligado à glândula (epífise), que é responsável pela produção de melatonina (substância que regula o sono e outros ritmos biológicos). 

Este lótus aparece circundado por mil pétalas, o que significa que para ele convergem mil nadis (dutos de energia), e não possui nenhum bija mantra (som) relacionado. 

Sua função é a espiritualidade e a iluminação. Não possui elemento relacionado e rege o cérebro. 

Este chakra só é ativado quando a energia ígnea conhecida como kundalini chega até ele, após ter atravessado e ativado os outros seis chakras, fazendo com a pessoa atinja o nirvana (iluminação e libertação). 

Seu nome popular é chakra da coroa ou chakra coronário. Esse chakra controla o nosso corpo búdico, diretamente relacionado com a nossa Divindade Interior, o nosso Eu Superior.

O quadro acima faz parte da coleção dos sete chakras, que pode ser visualizada junto com outras obras da artista em seu site. Clique aqui para acessar.


Amigos queridos!


Todas as mandalas são confeccionadas após um estudo.
As pessoais, residenciais, comerciais e as que atuam diretamente nos chacras.
Se houver interesse, entre em contato conosco, sem nenhum compromisso.


Abraços e muita Luz e Paz!

Marilda Jorge

domingo, 6 de julho de 2014

Chakra Frontal

6) AJNA CHAKRA- O nome ajna significa, em sânscrito, o chakra do comando. 

Esse chakra, que possui a cor anil (azul escuro), situa-se no intercílio, que é a região localizada entre as sobrancelhas (este é o famoso “terceiro olho”, que os hindus destacam através do uso de jóias ou tatuagens no meio da testa). 

Corresponde ao plexo cavernoso e está ligado à glândula pituitária (hipófise), que é responsável pela segregação da endorfina (hormônio tranqüilizante que causa uma agradável sensação de bem estar). 

Este lótus aparece circundado por duas pétalas e o bija mantra (som) que ativa este centro é OM. 

Sua função é o conhecimento, a percepção, a intuição e a clarividência. Não possui elemento relacionado e rege os olhos e a memória. 

Seu nome popular é chakra frontal. Esse chakra controla o nosso corpo causal, diretamente relacionado com as nossas habilidades inatas e com as experiências acumuladas de outras vidas.

O quadro acima faz parte da coleção dos sete chakras, que pode ser visualizada junto com outras obras da artista em seu site. Clique aqui para acessar.


Amigos queridos!


Todas as mandalas são confeccionadas após um estudo.
As pessoais, residenciais, comerciais e as que atuam diretamente nos chacras.
Se houver interesse, entre em contato conosco, sem nenhum compromisso.


Abraços e muita Luz e Paz!

Marilda Jorge

sábado, 5 de julho de 2014

Chakra Laríngeo

5) VISHUDDHA CHAKRA- O nome significa, em sânscrito, o grande purificador. 

Esse chakra, que possui a cor azul, situa-se na garganta. Corresponde ao plexo laríngeo e está ligado às glândulas tireóide e paratireóide, que regulam o metabolismo do corpo. 

Este lótus aparece circundado por dezesseis pétalas e o bija mantra (som) que ativa este centro é HAM.


Sua função é a inspiração, a criatividade e a comunicação. Seu elemento é o éter, também conhecido pelo nome akasha, e rege o pescoço e os ombros. 


Seu nome popular é chakra laríngeo. Esse chakra controla o nosso corpo mental superior, diretamente relacionado com as aspirações mais elevadas do nosso ser.

O quadro acima faz parte da coleção dos sete chakras, que pode ser visualizada junto com outras obras da artista em seu site. Clique aqui para acessar.


Amigos queridos!


Todas as mandalas são confeccionadas após um estudo.
As pessoais, residenciais, comerciais e as que atuam diretamente nos chacras.
Se houver interesse, entre em contato conosco, sem nenhum compromisso.


Abraços e muita Luz e Paz!

Marilda Jorge
Site Meter