Seguidores

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Os sofismas da distração

Eles são os falsos raciocínios capciosos que nos induzem ao erro e que são gerados pelo ego. Chamam-se os sofismas da distração. Os famosos erros pessoais que chamamos de personalidade e onde vivemos do orgulho e da prepotência com aparência de verdadeiros.

No subconsciente existe todo o tipo de lembranças do passado. Estas memórias acumuladas nos deixam com uma alma pesada, infeliz, agressiva e falsa. Jamais lembramos do mal que já fizemos em outras vidas e achamos que somos coitados e injustiçados sempre.

Enquanto não conseguirmos limpar nosso EU, estaremos sentindo culpa e medo. Trairemos por vingança e o desejo de manipular fica mais forte. Somos artistas no mal sentido, pois vivemos na mentira e na falta de luz. Para os sem conhecimento somos inteligentes, pois sabemos como enganar.

O medo traz o ódio e também o sistema de ferir e insultar. Para não parecermos fracos, gritamos, pois não existe o dialogar e com isso, temos raiva de uma situação, do trabalho, da parte financeira, da competência dos outros e sempre culpamos terceiros e nunca a nós mesmos pelas situações que estamos vivendo. Todos nos consideram com uma personalidade marcante e carismático. Mal sabem que atrás de toda esta capa ou armadura social existe um ser débil e doente que precisa se tratar.

Muitas são as pessoas que lutam na vida para serem ricas. Trabalham, economizam e se esmeram em tudo, porém, a inveja é a mola secreta de todas as suas ações. Esta inveja que elas desconhecem e que não vem à tona comumente faz com que mintam para si mesmo e para os outros, por sempre desejarem o que o outro tem.

Poucos são os seres que não invejam a bonita casa, o flamejante automóvel, a inteligência do líder, o belo traje, a boa posição social, a grande fortuna, etc.
Quase sempre os melhores esforços dos cidadãos têm como mola secreta a inveja, a raiva e o sentimento de posse.

Muitos são os estudantes de certas escolas pseudo-esotéricas e pseudo-ocultistas que condenam as coisas deste mundo e não trabalham em nada porque tudo é vaidade, porém são tão zelosos de suas virtudes que jamais aceitam que alguém os qualifique de preguiçosos. Ruim, heim?!

Muitos se dizem sãos, mas matam e já são milhões as vítimas inocentes dos verdugos e nenhum deles se sente culpado, pois apenas está cumprindo o seu dever.

Por interesses variados destruímos pessoas e suas carreiras, pois achamos que do nosso modo é o certo. Para conseguirmos o poder roubamos, mentimos e até prostituímos seres. E na política ou sociedade, chamamos isto de domínio dos fortes sobre os fracos. E é este mesmo poder que esta gerando a violência e a falta de humanidade no ser humano e dentro deste domínio existe o massacre do EU verdadeiro. Mais um artifício dos sofismas da distração.

Hoje vemos pais que matam os filhos e filhos que matam os pais. Um tempo de caos e energias densas. Tudo isso porque trazemos de vidas passadas karmas e não burilamos o nosso EU. Vivemos para fora, para o outro, num mundo consumista e estereotipado, onde as vaidades e os desejos têm mais valor do que a lógica e o bom senso.

Os seres buscam sangue e quando tudo esta calmo não existe graça, pois é necessário buscarmos a adrenalina do momento, outro sofisma da distração.

Para ter uma solução por menor que seja nesta situação, precisamos parar e deixar a nossa mente quieta e silenciosa. Não vou dizer que seja fácil para ninguém, pois requer esforço e força de vontade.

Desta forma conseguiremos extrair a podridão secreta que tentamos esconder de nós e dos outros. Jamais dizer: o meu EU tem inveja, ódio, ira, ciúmes, luxuria etc. Muito melhor é aceitar e dizer: eu tenho inveja, ódio, ciúmes, ira, luxuria, etc.

O que posso fazer contra isso? Contra este eu psicológico com seus sofismas de distração? Parar é um santo remédio para tudo e é neste momento de silencio interior, que iremos receber do Universo a luz e paz para resolver todo e qualquer problema. Escolha um dia para você ao menos tentar. Valerá a pena, acredite.

Se você se interessar por conhecer mais como trabalhar com tudo isso, clique aqui para conhecer a Terapia da Busca, onde existem técnicas de auto-defesa contra os sofismas de distração.

Será uma nova luz no fundo do túnel e só depende de você. Mas tome cuidado! O seu ego estará perdendo o reinado e simplesmente fará de tudo o que estiver a seu alcance para desviá-lo deste caminho e mantê-lo fascinado com o nada. Exemplo disso é mantê-lo sempre preocupado com tudo.

É o fim do reinado do ego e de sermos sua marionete. É o fim dos defeitos gerados pelos sofismas de distração, onde os itens passageiros do dia-a-dia só desejam nos desviar do que realmente viemos fazer nesta escola que se chama Terra. A nossa tarefa e a nossa missão.

Luz e Paz,

Marilda Jorge

2 comentários:

Anônimo disse...

Sou casada e descobri que meu marido depois de seis anos de casamento, anda me traindo todos os dias. Eu sei e ele não sabe... diz que precisa de vida nova sempre e inventa amigos, trabalho e para todos ele é um santo.
Como temos 3 filhos, tento fingir que não sei de nada. Isto seria um sofisma da distração dele? Pode ser que ele precise de tudo isso para se sentir vivo? Estou vivendo num inferno e por causa das crianças ainda não me separei.
Por favor preciso de uma luz!

Marilda Jorge disse...

Olá amiga anônima!
Escrevi este texto já faz algum tempo ,para muitas pessoas que vivem como você. Se ele não lhe ajudar, estou passando o meu e-mail e o meu telefone abaixo: (11)3375-6664
e-mail: marildajorge@gmail.com

Espero que o texto lhe ajude e desejo para você muita Luz e Paz!

Site Meter